NOTÍCIAS
Internacional
13/01/2021

Escola proíbe aluna de ir a aulas por saia muito longa e ameaça processar seus pais

Compartilhar:
Foto: Reprodução

Estudante é proibida de ir para escola por saia muito comprida

A família de uma menina de 12 anos é ameaçada com medidas legais pela escola Uxbridge, no Reino Unido, porque a saia que ela veste é considerada muito maior do que a medida determinada pelo regimento interno.

 

Ao jornal britânico "The Guardian", Siham Hamud contou que usa há vários anos aquele estilo de roupa que vai até seu tornozelo, mas no último mês recebeu uma adverdência de uso incorreto do uniforme. Mesmo assim, a estudante, que é muçulmana, se recusou a usar a saia mais curta e acabou sendo mandada para casa em todos os dias de aula no mês de dezembro.

 

"Isso me faz sentir excluída, porque não posso ver meus amigos. Eles não estão me aceitando por causa da minha religião e isso está errado", criticou Siham. "Eu me sinto confusa e irritada por não poder usar o que quero pela minha religião. Espero que eles mudem suas regras para que meninas como eu usem saias na escola".

 

Veja também

 

Susto: árvore de Natal é confundida com tubarão em praia da Austrália. VEJA VÍDEO

 

Sete irmãos e seus leões mataram famílias inteiras na Líbia

 

Ela acredita que a medida foi tomada para intimida-la por suas crenças religiosas. Agora os pais dela são ameaçados de processo em razão das faltas da filha na escola. Enquanto isso, a estudante estuda em casa em razão das aulas online terem sido retomadas diante do avanço da pandemia da Covid-19 na região. Nas redes sociais, entidades islâmicas repudiam a reação do colégio diante da situação.

 

"A escola está ameaçando entrar com uma ação judicial contra mim, mas não a estou forçando a usar uma saia mais longa — é sua fé e sua decisão a tomar. Ela costumava adorar a escola, mas agora ela vai para a escola chorando por causa disso — é de partir o coração", disse o pai da estudante, Idris Hamud, de 55 anos.

 

Um comunicado endereçado aos pais de Siham em 9 de dezembro de 2020 explica que as faltas da menina são registradas como não autorizadas e que isso pode resultar "na aplicação de uma multa ou na tomada de uma ação legal contra os adultos que têm responsabilidade parental ou cuidado diário de seu filho".

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.

Entre no nosso Grupo de WhatApp.

 

"A ação judicial pode assumir a forma de aviso de multa ou intimação para o tribunal de justiça", acrescenta

 

Fonte: Extra.Online

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2021. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.