NOTÍCIAS
Bizarro
15/07/2020

Oferenda para Satanás: homem diz à polícia que matou cão em ritual maligno. VEJA FOTOS

Compartilhar:
Foto: Divulação

15ª DP da PCDF, em Ceilândia, investiga o caso

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) aprofundou as investigações sobre um morador de Ceilândia acusado de espancar, torturar e matar o próprio cachorro. De acordo com as investigações, o suspeito desferiu ao menos seis golpes de faca contra o animal. Após a morte, o animal ainda teve as patas dianteiras e traseiras e focinho amarrados com arame farpado.

 

Aos policiais da 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Centro), o homem disse que agiu sob o domínio de Satanás e que a morte do animal seria uma oferenda para o demônio.

 

O caso ocorreu na sexta-feira (10/7), na QNM 4 de Ceilândia. O caso chegou ao conhecimento da polícia após uma moradora ter ouvido os latidos do animal e, ao sair na rua, viu o suspeito jogando o cão, já morto, na rua.

 

Veja também

 

Lombriga é retirada de garganta de mulher após ela comer sashimi

 

Bar instala cerca elétrica para manter distanciamento entre clientes

 

Cão morto

 

Testemunhas confirmaram que o animal teve boca e patas amarradas com arame. Um morador contou que precisou contratar uma pessoa para retirar o cadáver do cachorro, que foi jogado no meio da rua pelo próprio dono.

 

Barra de ferro

Fotos: Divulgação

 

Curtiu? Siga o PORTAL DO ZACARIAS no FacebookTwitter e no Instagram.
Entre no nosso Grupo de WhatApp. 
 

De acordo com a PCDF, o autor foi indiciado pela prática da conduta descrita e tipificada no artigo 32, parágrafo 2 da Lei 9605/1998 ( Lei dos Crimes Ambientais), cuja pena cominada equivale a detenção de três meses a um ano, aumentada pelo resultado morte. Por tratar se de delito de menor potencial ofensivo, após prestar sua versão o autor foi liberado e se encontra a disposição da Justiça.

 

Metropoeles

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

Mensagem:

LEIA MAIS

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade

Copyright © 2013 - 2020. Portal do Zacarias - Todos os direitos reservados.